Coimbra

Esta exposição permanente explora o tema da luz e da matéria, a partir dos objectos e instrumentos científicos das colecções da Universidade de Coimbra.  
A exposição Visto de Coimbra – os Jesuítas entre Portugal e o Mundo tem o seu foco sobre a Companhia de Jesus, que ocupou os espaços onde hoje está instalado o Museu da Ciência da Universidade de Coimbra.

Observe o céu e conheça alguns dos seus segredos com a Alpha Centauri.
Os investigadores da Universidade de Coimbra mostram um pouco do trabalho que fazem e convidam o público a participar em experiências de biologia, geologia, física, engenharia, saúde, psicologia, e muitas mais. Venha ver, tocar e experimentar ciência!

No decurso da atividade iremos descobrir o nemátode responsável pela doença da murchidão do pinheiro que tem dizimado os nossos pinheiros.

Isabel Abrantes, Joana Cardoso, Luís Bidarra, NEMATO-lab
O Jogo da Energia EfS convida-nos a descobrir a iniciativa Energia para a Sustentabilidade ao longo de um percurso com desafios e questões. Joana Bastos, Luísa Dias, Nelson Soares, Vanessa Tavares Iniciativa Energia para a Sustentabilidade (http://www.uc.pt/efs) - Comité Campus Sustentável
Material psicopedagógico concebido para ser utilizado enquanto metodologia ativa com jovens em regime de acolhimento residencial, tendo em vista o treino de competências para o pós-acolhimento.

Qualquer participante na Noite dos Investigadores pode experienciar os desafios inerentes à vida em autonomia, sem apoio de retaguarda.

João Pedro Gaspar, CEIS20
Os raios cósmicos são partículas com uma energia elevada, constituídos maioritariamente por protões. Ao chegarem à Terra, colidem com os núcleos dos átomos da atmosfera, a cerca de 10 km acima da superfície do planeta, dando origem a uma “chuva” de outras partículas menos energéticas, os chamados raios cósmicos secundários.

Estes raios cósmicos secundários podem ser detectados à superfície da Terra por dispositivos como câmaras de faíscas, por exemplo. Uma destas câmaras, construída no Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas (LIP) estará exposta, permitindo ao visitante a observação de raios cósmicos!

Francisco Neves, LIP-Coimbra
A tomografia por emissão de positrões, também conhecida pela sigla inglesa PET, é uma técnica de imagiologia médica nuclear que utiliza radionuclídeos que emitem um positrão para formar imagens detalhadas do interior do corpo do paciente.

Num exame PET é administrado ao paciente, por exemplo, glicose ligada a um elemento radioactivo (normalmente o flúor). As regiões do corpo que metabolizam essa glicose em excesso, tais como tumores ou regiões do cérebro em intensa actividade, aparecem destacadas na imagem criada por computador.

Um demonstrador de PET baseado numa nova tecnologia desenvolvida no LIP mostrará como funciona o PET e a criação das respectivas imagens.

Francisco Neves, LIP-Coimbra
A radioactividade natural faz parte do nosso quotidiano e está presente em tudo o que nos rodeia desde as paredes das nossas casas, à comida que ingerimos.

Uma câmara de nevoeiro é um dispositivo que permite detectar a passagem de partículas com carga eléctrica provenientes, por exemplo, de decaimentos radioactivos. Uma câmara deste tipo contém uma atmosfera de vapor supersaturado, formando-se um rasto visível de gotículas semelhante a nevoeiro ao longo do caminho percorrido pelas partículas.

Uma câmara de nevoeiro, construída no LIP, estará exposta permitindo aos visitantes observar as partículas emitidas no processo de decaimentos radioactivos.

Francisco Neves, LIP-Coimbra

Investigadores da UC em curtas conversas com o público.

19h00 – Concerto por Mbye Ebrima, inserido no ciclo Hortus Musicalis

20h30 – Visita guiada à Estufa pela arqueóloga Sónia Filipe (inscrições a partir das 20h, junto à Estufa)

21h30 às 22h30 – Visitas orientadas à Estufa

20h00 às 23h00 – Atividades hands-on | Encontros com cientistas (Estufa e plataforma da Estufa)
Existirá alguma ligação entre o património biológico e o património cultural? Venha conhecer algumas das plantas divulgadas pela literatura, música e sabedoria popular. Mas nem todas as plantas da nossa cultura são portuguesas, conseguirá descobrir quais são?
Entidade dinamizadora: Jardim Botânico da Universidade de Coimbra
Muitas das plantas que utilizamos como alimento, condimento ou até para fazer bebidas têm atividade no sistema nervoso. Venha descobrir algumas delas, através de um jogo de pistas.
Entidade dinamizadora: Jardim Botânico da Universidade de Coimbra
Venha descobri-los connosco e, juntos, trabalhar na construção de um mundo mais humano, justo e sustentável.
Entidade dinamizadora: Catédra UNESCO em Biodiversidade e Conservação para o Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Coimbra
Vamos dar a conhecer o mundo das abelhas falando sobre a sua biologia, relevância no nosso dia-a-dia e o que está a ser feito no mundo da investigação para as estudar. Para isso, teremos uma colmeia de observação e diversos produtos provenientes da colmeia para mostrar e dar a provar (mel e pólen).
Entidade dinamizadora: Centro de Ecologia Funcional
O que lhe vem à cabeça quando pensa em fungos? Sabia que a esmagadora maioria dos milhões de espécies de fungos que habitam o nosso planeta é benéfica ou inofensiva? Sabia que os fungos são os recicladores da natureza? Que são fonte de alimento e são os fermentadores que nos dão o pão, a cerveja e o vinho? Que são fonte de medicamentos e de metabolitos para a indústria? Que promovem a saúde das árvores na floresta e das plantas nos terrenos agrícolas? Na noite dos investigadores, traga a família, e surpreenda-se com tudo o que os fungos fazem por si!
Entidade dinamizadora: Centro de Ecologia Funcional
As características dos diferentes méis relacionam-se, de perto, com as plantas que lhes dão origem, constituindo os grãos de pólen as “impressões digitais" das plantas. Diversos tipos de mel portugueses e espanhóis serão caracterizados, mediante a observação ao microscópio ótico, pelo seu conteúdo político.
Entidade dinamizadora: Centro de Ecologia Funcional
Bugalhos, bugalhitos, maçãs de cuco…diferentes nomes para uma mesma estrutura: o bugalho ou galha. Desde terras transmontanas até às grandes planícies alentejanas, seja como brinquedos, instrumentos musicais, etc… os bugalhos dos carvalhos estão presentes nas memórias coletivas populares desde tempos imemoriais. Mas, nem só os carvalhos apresentam bugalhos. Há muitas outras espécies de plantas com este tipo de estruturas, as quais, na grande maioria das vezes, passam despercebidas. Há até plantas em que os bugalhos impedem a produção das sementes, ajudando a controlá-las! Uma observação “esbugalhada” destas estruturas mostra um fantástico e rico universo. Quase como uma Matrioska, o interior do bugalho inclui a interação entre diferentes espécies de insetos com diferentes funções: formadores dos bugalhos, parasitóides e inquilinos. Acompanhe-nos nesta aventura e venha descobrir quais são alguns dos bugalhos que se podem encontrar perto de si e a sua importância!
Entidade dinamizadora: Centro de Ecologia Funcional
No decurso da atividade iremos descobrir o nemátode responsável pela doença da murchidão do pinheiro que tem dizimado os nossos pinheiros.
Entidade dinamizadora: NEMATO-lab, Centro de Ecologia Funcional
Atividade sobre plantas invasoras que tem como objetivos alertar para os graves problemas causados por estas espécies, explorar um pouco alguns dos estudos/ trabalhos a decorrer com estas espécies e ensinar a reconhecer algumas das plantas invasoras que se podem encontrar em Portugal. Será ainda demonstrado como utilizar a plataforma de Ciência Cidadã "Plantas Invasoras" para mapear estas plantas em Portugal (disponível em www.invasoras.pt).
Entidade dinamizadora: Centro de Ecologia Funcional
Sabia que existem plantas venenosas e que algumas delas podem matar? Conhece alguma(s) planta(s) venenosa(s)? Nesta Noite Europeia dos Investigadores convidamo-lo a aprender mais sobre estas plantas e os seus perigos, entrando no papel de um investigador forense e desvendando alguns casos de envenenamentos vegetais.
Entidade dinamizadora: Centro de Ecologia Funcional
Os investigadores do consórcio de investigação CNC e iCBR juntam-se à Noite Europeia dos Investigadores com diversas atividades "mãos na massa" para públicos dos 8 aos 80. Os investigadores prometem desvendar mistérios do cérebro, falar dos benefícios do exercício físico, mostrar como funcionam vários mecanismos fisiológicos, revelar o potencial das mitocôndrias como fábricas de energia, entre outras surpresas. Quais são os processos cerebrais associados à aprendizagem e formação de memórias? Como funciona o coração? Como temos energia para o organismo funcionar? O que é o pH? Há relação entre a diabetes e a doença de Alzheimer? Existem novidades na terapia do cancro e de doenças do cérebro? Estas e outras questões poderão ser respondidas através de atividades interativas dinamizadas pelos investigadores. Juntem-se a nós nesta festa da ciência!
Entidade dinamizadora:Consórcio CNC | iCBR

Claude Laprade e o Barroco Europeu em Coimbra
Sílvia Ferreira
Início: Museu da Ciência da Universidade de Coimbra
Fim: Museu Nacional Machado de Castro
Sérgio Rodrigues
Atividade dinamizada por MiniBioqs
Convidados:
A. Leal Duarte
Bernardo Albuquerque Nogueira
Carla Gonçalves
Carlota Simões
Margarida Castro
Pedro Carvalho
Rui Fausto
Rui Lobo