Programa Lisboa

Em Lisboa, a programação local da Noite Europeia dos Investigadores 2021, coordenada pelo Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa, contemplará atividades online e locais inspiradas na temática geral Ciência para o Clima. A programação conta com 41 atividades sobre a temática desta edição da NEI alinhada com o Pacto Ecológico Europeu.

As atividades serão distribuídas entre o Museu Nacional de História Natural e da Ciência,
Jardim Botânico de Lisboa e Jardim do Príncipe Real.

Entre 16h00 e 23h00 do dia 24 de setembro 2021, junta-te a nós e vem Celebrar a Ciência!

Aceda aqui a programação completa das atividades em Lisboa!

Filtrar 41 atividades:

Escolha pelo menos um filtro.

Não foram encontradas atividades.

Desafio ESHTE – Turismo e Sustentabilidade

ESHTE Challenge – Tourism and Sustainability

Promovendo os espaços de ciência através de experiências

No decorrer do programa local de Lisboa na Noite Europeia dos Investigadores será dinamizado pela Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril (ESHTE) um desafio com atividades presenciais entre os espaços exteriores do MUHNAC e o Jardim do Príncipe Real. Entre estas atividades, incluem-se: escalada (em estrutura artificial), segways, tiro com arco e peddy-paper.

Com estas experiências visa-se trazer novas perspetivas no usufruto dos espaços de ciência, demonstrando que a criatividade e a ativação de novas dinâmicas podem potenciar o interesse dos visitantes.

Para a realização deste desafio bastará aos visitantes registar-se no balcão da ESHTE, para então usufruir das diversas atividades ao longo da sua experiência na Noite Europeia dos Investigadores.

Local: Jardim Botânico e Jardim do Príncipe Real

Público: Todas as idades

Organizado por: Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa

Investigador(a) responsável: Mário Silva, Tiago Lopes

Área temática: Ciências Sociais e Humanas

Tipo de atividade: Jogos, Apps e Desafios

Ciência para o Clima: neutralidade climática em 2050?

Science for Climate: climate neutrality in 2050

Não perca a sessão de abertura das conversas no claustro!

Uma conversa sobre a neutralidade climática com:

Miguel Miranda | Presidente do Conselho Diretivo do IPMA
Francisco Ferreira | Presidente da Zero
Moderação: Marta Lourenço | Diretora do MUHNAC

 

Transmissão em direto no canal Youtube da NEI

 

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Horário: 17h00 Público: Adultos

Organizado por: IPMA | Zero

Área temática: Ciências Naturais e do Ambiente

Tipo de atividade: Conversas & Controvérsias

BIOBLITZ

Participe no Bioblitz e ajude-nos a preservar a biodiversidade!

Morcegos: 20h00 – 21h30
Bats

Borboletas noturnas: 21h30 – 22h30
Moths

Resultados: 22h30 – 23h00
Results

Horário: 20h00-23h00 Público: Todas as idades

Organizado por: Biodiversity4All| ISCTE-IUL

Área temática: Ciências Naturais e do Ambiente

Tipo de atividade: Demonstrações

Observações astronómicas com utilização de telescópio

Astronomical observations using a telescope

Venha observar o Céu noturno connosco!

 

Local: Jardim Botânico de Lisboa

Horário: 19h00-23h00 Público: Todas as idades

Organizado por: Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

Área temática: Física / Química

Tipo de atividade: Demonstrações

Uma cidade mais sustentável: desenhar Lisboa com as cores dos Objectivos do Desenvolvimento Sustentável da Agenda ONU 2030

A more sustainable city: drawing Lisbon with the colors of the Sustainable Development Goals of the UN Agenda 2030.

Grandes prados floridos no centro da cidade? Paredes vivas no Castelo de São Jorge? Isso é possível! Vem connosco desenhar a tua Lisboa mais sustentável, ouve os nossos investigadores e aprende com os 17 Objectivos do Desenvolvimento Sustentável da Agenda ONU 2030!

Convidamos as pessoas de todas as idades a idealizar aspectos de uma Lisboa mais sustentável, desenhando propostas coloridas na nossa parede com o desenho de vistas da cidade de Lisboa! Aprende sobre os Objectivos do Desenvolvimento Sustentável ONU com a ajuda das investigadoras e investigadores do Técnico, e desenha a tua Lisboa Sustentável! Durante as actividades haverá aprofundamentos temáticos sobre questões climáticas, qualidade do ar, biodiversidade, soluções baseadas na natureza, economia circular, acessibilidade e igualdade de género, pelos investigadores do Técnico Ana Galvão (CERIS), Beatriz Silva (IDMEC), Cristina Matos Silva (CERIS), Gonçalo Marques (MARETEC/LARSyS), Inês Ribeiro (IDMEC), Marta Almeida (C2TN), Silvia Di Salvatore (MARETEC/LARSyS), e pelo alunos do núcleo de estudantes AmbientalIST. A iniciativa é apoiada pela ONU Portugal.

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Público: Todas as idades

Organizado por: Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa / “Técnico Sustentável – Ambiente Sociedade Economia”, Plataforma IST-Ambiente

Investigador(a) responsável: Silvia Di Salvatore

No enquadramento do projecto: 3SqAir: Sustainable Smart Strategy for Air Quality Assurance in Classrooms (financiado pelo União Europeia, FEDER) ECF4CLIM: Building a low-carbon, climate resilient future: research and innovation in support of the European Green Deal (financiado pela União Europeia, H2020) TWIST: Transnational Water Innovationn Strategy (financiado pelo União Europeia, FEDER) GENESIS: Green roofs and walls ENvironmental Economic and SocIal Savings (Funded by FCT - Portuguese Foundation for Science and Technology, project PTDC/GESURB/29444/2017.)

Área temática: Arquitetura, Artes e Design, Ciências Naturais e do Ambiente, Ciências Sociais e Humanas, Tecnologias

Tipo de atividade: Conversas & Controvérsias, Jogos, Apps e Desafios

Pintar sem tinta: Nanocristais de celulose que imitam os escaravelhos

Paint without paint: Cellulose nanocrystals that imitate beetles

Vem aprender como temos cor sem pigmento ao imitar a carapaça do escaravelho com derivado do algodão

Nesta atividade os produtos e o mecanismo que que dão origem à produção de filmes coloridos sem pigmentos serão mostrados. As membranas obtidas apresentam coloração forte derivada da sua estrutura e biomimetizam a organização estrutural da exo-cutículas de escaravelhos. Óculos de sol e óculos 3D serão utilizados para evidenciar as propriedades óticas dos filmes. Sensores de pressão colorimetricos de derivado de celulose em água serão igualmente apresentados.

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Público: Todas as idades

Organizado por: i3N/CENIMAT | FCT-NOVA

Investigador(a) responsável: Susete Nogueira Fernandes

Área temática: Física / Química, Tecnologias

Tipo de atividade: Demonstrações

Sistemas inteligentes e alterações climáticas: como é que podem ajudar?

Intelligent systems and climate changes: how can they help?

Sistemas autónomos para vigilância e monitorização (oceanos, fogos florestais, território)

Com esta actividade, através de vídeos e demonstrações, pretende-se exemplificar a utilização de sistemas autónomos para vigilância e monitorização, num cenário de alterações climáticas.

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Público: Jovens e Adultos

Organizado por: Instituto de Sistemas e Robótica (ISR-Lisboa) | Universidade de Lisboa

Investigador(a) responsável: José Santos-Victor

Área temática: Tecnologias

Tipo de atividade: Demonstrações, Vídeos sobre Projetos

De resíduos a biopolímeros

From wastes to biopolymers

Sabia que as bactérias produzem plástico?

As bactérias têm capacidade para produzir plástico biodegradável e muitos outros biopolímeros com interessantes aplicações na indústria farmacêutica, alimentar, cosmética, biomedicina, embalagens, etc.
E conseguem produzir estes biopolímeros a partir resíduos industriais, que de outro modo teriam de ser tratados ou incinerados.
Nesta atividade será explicada a forma como estes biopolímeros são produzidos, será mostrada diferentes exemplos de biopolímeros e suas aplicações. Existirá também atividades hands-on onde poderão fazer esferas de biopolímero, emulsões, etc.

Financiamento: USABLE PACKAGING H2020-BBI-JTI-2018-836884; PROMICON H2020-FNR-2020-210673508

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Público: Todas as idades

Organizado por: UCIBIO, FCT NOVA

Investigador(a) responsável: Joana Fradinho

No enquadramento do projecto: USABLE PACKAGING: Unlocking the potential of Sustainable BiodegradabLe Packaging; PROMICON: Harnessing the power of nature through productive microbial consortia in biotechnology - measure, model, master

Área temática: Ciências Naturais e do Ambiente

Tipo de atividade: Demonstrações, Jogos, Apps e Desafios

Monitorização de parâmetros ambientais da cidade de Lisboa / Ondas de calor em Lisboa

Monitoring the environmental parameters of the city of Lisbon / Heat waves in Lisbon

Veja em tempo real os dados ambientais de Lisboa! Ondas de calor, sabe o que são?

Monitorização de parâmetros ambientais da cidade de Lisboa Através de um monitor interativo será permitida a consulta dos parâmetros ambientais monitorizados pela rede de sensores constituída por 80 estações distribuídas pela cidade. Será possível ver os dados relativos à temperatura, humidade, precipitação, vento, radiação ultravioleta e dados de qualidade do ar. Neste monitor poderá ser também feita a consulta ao histórico de dados medidos nas várias estações ou ver a medição em tempo real.

Será ainda possível consultar os dados de uma estação de medição de partículas, temperatura e humidade instalada no local.

Ondas de calor em Lisboa

Aprofundar o conhecimento dos efeitos das alterações climáticas projetadas para Lisboa quanto ao cenário de aumento da temperatura média anual, através do estudo das

Ondas de Calor (OC) na AML e da produção de cartografia temática relativa a Ilhas de Calor Urbano (ICU) na cidade, com o objetivo de desenvolver ferramentas de suporte ao planeamento urbanístico e concretização da Estratégia Municipal de Adaptação às Alterações Climáticas.

Financiamento: Sharing Cities- Fundos Europeus H2020- Acordo subvenção nº 691895 | Ondas de Calor em Lisboa: Operação POSEUR-02-1708-fc000060 – Eixo “Promover a Adaptação às Alterações Climáticas e a Prevenção e Gestão de Riscos”, com cofinanciamento do FEDER/FC

Local: Jardim do Príncipe Real

Público: Todas as idades

Organizado por: Câmara Municipal de Lisboa/Direção Municipal do Ambiente, Estrutura Verde, Clima e Energia/ Departamento de Ambiente, Energia e Alterações Climáticas

Em parceria com: Consórcio Sharing Cities | Projeto Ondas de Calor : IDAD/Universidade de Aveiro; IGOT/Universidade de Lisboa; Lisboa E-nova

Investigador(a) responsável: Ana Lourenço e Paulo Pais

No enquadramento do projecto: Sharing Cities - Monitorização de parâmetros ambientais da cidade de Lisboa | Cartografia de Vulnerabilidade Térmica – Mapeamento dos efeitos das ondas de calor em Lisboa, face às projeções climáticas

Área temática: Ciências Naturais e do Ambiente

Tipo de atividade: Demonstrações

Recycle Lab

Recycle Lab

O Recycle Lab é um laboratório preocupado com a sustentabilidade e a ecologia.  Existem inúmeras quantidades de plásticos que são desperdiçados. Com o Design de Produto como ferramenta, nós (recycle Lab)  resignificamos o descarte, reciclamos o plástico e repensamos as formas de consumo para as novas gerações.
Todos os produtos feitos no Recycle Lab, são únicos, contribuem para a redução do descarte de plástico, aumenta a vida útil do material e impulsiona a consciência sócio-ambiental, promovendo uma proteção climática pela reutilização, criando uma nova forma de criar e de consumir.

Queremos mostrar que nas Faculdades é possível pensar e contribuir para uma nova visão da produção de materiais e produtos.

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Público: Jovens e Adultos

Organizado por: Faculdade de Arquitetura | ULisboa

Investigador(a) responsável: Luana Moss, Mariana Marques, Martim Caeiro e Tiago Águas

Área temática: Arquitetura, Artes e Design

Tipo de atividade: Demonstrações

Ciência na cidade

Research in Lisbon

Lisboa cidade aberta ao conhecimento e à inovação

Divulgação de plataforma digital dedicada a investigadores, com conteúdos referentes ao ecossistema de Investigação e Desenvolvimento (I&D) na região de Lisboa. Divulgação de entrevistas com investigadores estrangeiros residentes na região de Lisboa.

Local: Jardim do Príncipe Real

Público: Jovens e Adultos

Organizado por: Câmara Municipal de Lisboa

Investigador(a) responsável: Maria Carvalho

Área temática: Tecnologias

Tipo de atividade: Demonstrações

Captando o Sol – A Infraestrutura Nacional de Investigação em Energia Solar de Concentração no futuro da descarbonização da economia

Harnessing the Sun – The National Research Infrastructure on Solar Energy Concentration and the future of the economy decarbonization.

Vem descobrir uma nova infra-estrutura de investigação dedicada ao desenvolvimento da energia solar de concentração

A actividade consiste na passagem de uma breve apresentação onde serão abordadas as tecnologias de concentração da energia solar, as suas aplicações presentes e futuras no contexto da descarbonização da economia e o papel da infra estrutura INIESC no seu desenvolvimento futuro.

 

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

 

Horário: 20h00 Público: Jovens e Adultos

Organizado por: Laboratório Nacional de Energia e Geologia, I.P.

Em parceria com: Universidade de Évora - Cátedra Energias Renováveis

Investigador(a) responsável: João Cardoso

Área temática: Ciências Naturais e do Ambiente, Física / Química, Tecnologias

Tipo de atividade: Conversas & Controvérsias

A alimentação artificial de praias como forma de adaptação às alterações climáticas

The beaches nourishment as a way of adapting to climate change.

Como combater a erosão litoral e o eventual desaparecimento das praias como atualmente as conhecemos

A atividade chama a atenção para a importância da alimentação artificial de praias no contexto das alterações climáticas como forma de tornar a faixa litoral mais resistente aos fenómenos erosivos. Nesta operação de alimentação, é importante conhecer a dinâmica sedimentar da plataforma continental interna de modo a se poder prever a taxa de recuperação do sistema. Este conhecimento poderá ser apoiado com uma “experiência de areias marcadas”, ou seja, a utilização de um volume de sedimentos pintados com tinta fluorescente que são colocados num determinado local, reconhecendo a sua movimentação (transporte) através da execução de várias recolhas de conjuntos de amostras na área envolvente, espaçadas no tempo.
Assim, nesta atividade propõe-se a utilização de um modelo 3D da faixa litoral e plataforma continental (construído em acrílico e contendo sedimentos arenosos) onde será possível simular os efeitos erosivos que ocorrem numa praia em períodos de tempestade e, também, demonstrar o processo de colocação dos sedimentos marcados e a sua dispersão em torno de uma área. Igualmente será feita uma demonstração da deteção dos sedimentos marcados com o auxílio de luz ultravioleta sendo também exibida a forma como é feita a identificação e contagem dos grãos fluorescentes numa amostra através de um programa de computador. A apoiar a atividade haverá um poster informativo.

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Público: Jovens e Adultos

Organizado por: Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa - Instituto Dom Luiz

Em parceria com: IPMA, APA, CIMA (UALG) e Centro Ciência Viva de Tavira

Investigador(a) responsável: João Cascalho

Área temática: Ciências Naturais e do Ambiente

Tipo de atividade: Demonstrações

Absorção e emissão: da radiação solar à luminescência

Absorption and emission: from solar radiation to luminescence

Luz solar: absorção, aquecimento e emissão

Várias experiências relacionadas com a absorção e emissão de radiação visível e UV, e dissipação não radiativa (aquecimento).

Financiamento: UIDB/04565/2020

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Público: Jovens e Adultos

Organizado por: Instituto de Bioengenharia e Biociências/IST

Investigador(a) responsável: Mário Berberan e Santos

No enquadramento do projecto: BASEIBB: projecto base do IBB

Área temática: Ciências da Saúde, Ciências Naturais e do Ambiente, Física / Química

Tipo de atividade: Demonstrações

“Não há planeta B” – Cartazes artesanais de protesto

"There is no Planet B" - Craft protest posters

"Não há planeta B" - Venha conhecer a exposição de cartazes artesanais de manifestações pelo ambiente realizadas em Portugal.

Um pouco por todo o mundo, milhares de manifestantes têm saído às ruas para protestar contra as alterações climáticas, encabeçados pelas gerações mais novas que exigem o seu direito ao futuro.

Em Portugal, a Greve Climática Estudantil tornou-se o maior protesto de estudantes da última década, reflectindo o grito de uma geração que apela aos governos e políticos por mudanças urgentes e estruturais.
Os materiais desta e de outras manifestações pelo clima foram resgatados e conservados pelo Arquivo Ephemera. Venha conhecer a exposição de cartazes artesanais de manifestações pelo ambiente realizadas em Portugal.

 

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Público: Todas as idades

Organizado por: Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES-Iscte) e Centro de Estudos Internacionais (CEI-Iscte) do Iscte - Instituto Universitário de Lisboa

Em parceria com: Arquivo Ephemera - Biblioteca e Arquivo de José Pacheco Pereira

Investigador(a) responsável: [Vários]

Área temática: Ciências Sociais e Humanas

Tipo de atividade: Demonstrações

O Planeta chama – Não fiques neutro

Our Planet Calls - Don't Stay Neutral!

Quais os desafios que prevemos que as alterações climáticas tenham na nossa sociedade, cidades e tecnologias? Como podemos (re)agir a esta emergência climática? Junte-se à conversa com o Iscte.

Um grupo de investigadores do Iscte irá conversar sobre as alterações climáticas e sobre os desafios futuros que o mundo irá ter que superar.

Cada investigador vai explicar alguns dos desafios e mudanças que prevê virem a ter impacto na vida social, nas organizações, na vida política, nas cidades, nas tecnologias e como podemos responder a esta emergência e contribuir para alcançar as metas que estão definidas para uma rápida descarbonização.

Prevê-se uma sessão dinâmica, com participação do público, focada nas perguntas colocadas pelo moderador num debate plural.

 

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Horário: 18h00 Público: Jovens e Adultos

Organizado por: Iscte - Instituto Universitário de Lisboa

Investigador(a) responsável: Susana Batel (CIS-Iscte), Catarina Roseta Palma (BRU-Iscte), Stefania Stellacci (ISTAR-Iscte), Nuno Bento (DINÂMIA’CET-Iscte), Octavian Postolache (IT-Iscte), Joana Martins (CRIA-Iscte), Felipe Brito e Cunha (CEI-Iscte)

Área temática: Arquitetura, Artes e Design, Ciências Sociais e Humanas, Tecnologias

Tipo de atividade: Conversas & Controvérsias, Demonstrações

Como é que as alterações climáticas irão afetar a geração de eletricidade na Europa?

How will climate change affect electricity generation in Europe?

Queres saber como as alterações climáticas vão afetar no futuro a produção de electricidade que tu utilizas? Nós mostramos-te.

Esta atividade tem como objectivo mostrar como as alterações climáticas irão afectar o desempenho das tecnologias renováveis e como estas irão impactar a geração de electricidade no futuro. Para tal estão previstos 2 jogos:
i. jogo de quizz a respeito do tema. Este permite aos participantes avaliar o seu próprio conhecimento;
ii. jogo de cenários em que os participantes poderão escolher diversos parâmetros entre os quais: a(s) tecnologia(s), o(s) país(es) da Europa, a estação do ano, etc, visualizando como os diferentes parâmetros escolhidos vão afectar a perfil de geração de electricidade, resultantes do projecto Clim2Power.

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Público: Todas as idades

Organizado por: FCT NOVA

Em parceria com: LNEG

Investigador(a) responsável: Patrícia Fortes

Área temática: Ciências Naturais e do Ambiente

Tipo de atividade: Demonstrações, Jogos, Apps e Desafios, Quizzes

CASAS: substâncias perigosas nas nossas casas?

HOUSES: hazardous substances in our houses?

Que substâncias perigosas estão por trás das paredes da tua casa?

Realização de um quizz relativamente à presença de substâncias perigosas nos edifícios e distribuição de informação sobre estas substâncias em materiais de construção.

Local: Jardim do Príncipe Real

Público: Jovens e Adultos

Organizado por: Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC)

Em parceria com: Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e Instituto dos Mercados Públicos, do Imobiliário e da Construção (IMPIC)

Investigador(a) responsável: Isabel Martins

Área temática: Ciências Naturais e do Ambiente

Tipo de atividade: Conversas & Controvérsias, Quizzes

Jogo KATCH-UP – o que é isso da economia circular?

The KATCH-UP game – what about circular economy?

A brincar, a brincar, és um designer para a economia circular!

Ao jogar o jogo de tabuleiro KATCH-UP todos nos tornamos designers de produtos e serviços mais sustentáveis e circulares. Já pensaram na quantidade de materiais, energia e água que estão integrados nos produtos que temos em casa? Como podemos redesenhar o mobiliário que usamos para o tornar mais durável, menos intensivo em recursos e originando menos resíduos? Será que em vez de comprar uma cadeira a podemos reinventar? Vamos por em prática a economia circular!

Financiamento: ERASMUS+

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

 

Público: Jovens e Adultos

Organizado por: LNEG - Laboratório Nacional de Energia e Geologia

Investigador(a) responsável: Cristina Rocha

No enquadramento do projecto: KATCH_e: Knowledge Alliance on Product-Service Development towards Circular Economy and Sustainability in Higher Educations

Área temática: Arquitetura, Artes e Design, Ciências Naturais e do Ambiente

Tipo de atividade: Jogos, Apps e Desafios

Desenhando uma cidade energeticamente sustentável

Envisioning a sustainable urban energy future

Como tornar uma cidade mais energeticamente sustentável em 2030?

Os visitantes podem desenhar planos para melhorar a sustentabilidade do sistema energético da cidade de Évora em 2030. Para tal são selecionadas um conjunto de medidas de entre um menu pré-definido. As medidas são aplicáveis a edifícios residenciais, setor dos transportes e geração de energia renovável na cidade. Cada plano é seguidamente avaliado no que respeita a redução de emissões de gases de efeito de estufa, custos associados e aceitabilidade.

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

 

Público: Todas as idades

Organizado por: LNEG

Investigador(a) responsável: Sofia Simões

Área temática: Ciências Naturais e do Ambiente, Tecnologias

Tipo de atividade: Jogos, Apps e Desafios

Redução da pegada ecológica: o impacto da indústria da construção e da poluição luminosa nas alterações climáticas

Reducing the ecological footprint: the impact of the construction industry and light pollution on climate change

A contribuição da investigação na indústria da construção e na poluição luminosa como estratégia de mitigação da pegada ecológica

O impacte da Humanidade no contexto das alterações climáticas no nosso planeta está relacionada com inúmeras ações da sociedade em que atualmente vivemos. São disto bons exemplos a poluição nas suas diversas formas e o consumo de matérias-primas na indústria da construção.

Os problemas de poluição global, como o efeito estufa, a diminuição da camada de ozono, as chuvas ácidas, a perda da biodiversidade, a acumulação indesejável de determinadas substâncias lançados nos rios ou nos oceanos, possuem consequências negativas variáveis em intensidade/gravidade e ao longo do tempo. Alguns dos efeitos da poluição podem ser cumulativos ou mesmo irreversíveis com diferentes consequências negativas a longo prazo, sendo a poluição luminosa uma das mais gravosas.

A poluição luminosa pode definir-se como sendo iluminação exterior excessiva, mal direcionada ou inadequada. O excesso de poluição luminosa prejudica a visão da esfera celeste noturna, aumenta o consumo energético, interfere na observação e investigação astronómica, perturba os ecossistemas terrestres e afeta a saúde e a segurança dos seres humanos e da vida selvagem. Acredita-se que a poluição luminosa possa ter um impacte global no planeta equivalente ao efeito dos níveis de monóxido de carbono e outros poluentes existentes na atmosfera.

A indústria da construção também tem uma pegada ecológica significativa, nas suas várias fases: consumo de matérias-primas, gastos energéticos e emissões de carbono na produção de novos materiais na construção, consumos energéticos durante a sua vida útil, nomeadamente com aquecimento e arrefecimento, e em ações de manutenção durante a sua utilização. Essa pegada ecológica pode ser mitigada através de várias estratégias que têm vindo a ser desenvolvidas nas últimas décadas, recorrendo-se a investigação para garantir a sua eficácia: i) utilização de materiais de baixa energia incorporada; ii) utilização de soluções de isolamento térmico; iii) utilização de materiais que reduzam as necessidades de manutenção, quer pela sua durabilidade, quer por características avançadas específicas, como é o caso dos materiais de auto-limpeza.

Por fim, a atividade proposta foca ainda a importância da realização de estudos hidráulicos, nomeadamente sobre a medição de caudais, na conceção de barragens de armazenamento de água e na melhoria de tratamentos para água potável e águas residuais, estudos estes cada vez mais pertinentes dada a alteração dos regimes pluviais e a escassez de água sentida globalmente pelo efeito de alterações climáticas e aumento populacional.

Local: Jardim do Príncipe Real

Público: Jovens e Adultos

Organizado por: Laboratório Nacional de Engenharia Civil

Investigador(a) responsável: José Manuel Rosado Catarino

Área temática: Tecnologias

Tipo de atividade: Demonstrações

Pequenos organismos, grandes mudanças

Small organisms, big changes

Os efeitos das alterações climáticas não param nos efeitos diretos. E nós, podemos pará-los?

As alterações climáticas constituem uma das mais sérias ameaças à saúde pública, a diferentes níveis. As consequências ao nível da maior incidência de eventos climáticos extremos e alterações das temperaturas são claras, mas existem efeitos indiretos que não são tão visíveis. Uma das consequências indiretas das alterações climáticas prende-se com a alteração da distribuição endémica de doenças parasitárias através da alteração da distribuição mundial de vectores de doença.

A alteração da distribuição da incidência de malária e doença do sono, que são estudadas no Instituto de Medicina Molecular, são alguns dos diversos exemplos de como as alterações climáticas podem ter um impacto negativo no sector da saúde humana.

O objetivo da nossa atividade é explicar o que são estas doenças, com especial foco na forma como se propagam e no papel do clima na sua distribuição. Pretendemos demonstrar o papel da ciência na compreensão dos mecanismos de transmissão destas doenças através de atividades/demonstrações dos nossos cientistas. O nosso objectivo final é sensibilizar a sociedade para os efeitos indiretos das alterações climáticas e criar uma maior ligação entre a comunidade científica e a sociedade em geral para promover a cooperação no combate a esta ameaça global.

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Público: Jovens e Adultos

Organizado por: Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes (iMM)

Investigador(a) responsável: Cláudia Silva

Área temática: Ciências da Saúde

Tipo de atividade: Demonstrações

Dinossáurios, extinções, alterações climáticas: que podemos aprender com a história da Terra?

Dinosaurs, extinctions, climate change: what can we learn from Earth's history?

Os Geólogos dedicam-se à descoberta do passado da Terra e da Vida. Como pode esse conhecimento contribuir para preparar o futuro?

"Entre Dinossáurios" é o meio ideal para se abordar, em conversa informal com o Prof. Galopim de Carvalho, aspectos da história da Terra e da Vida bem representativos de como ao longo dos 4600 milhões de anos do planeta em que vivemos, as alterações geológicas e climáticas ocorridas foram condicionando (nalguns casos até à extinção) ou favorecendo os diferentes grupos biológicos. A própria exposição tem recursos úteis para apoiar a conversa.

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Horário: 18h30-19h30 Público: Jovens e Adultos

Organizado por: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Investigador(a) responsável: Liliana Póvoas

Área temática: Ciências Naturais e do Ambiente

Tipo de atividade: Conversas & Controvérsias, Demonstrações

Treme-Treme e Riska

Treme-Treme and Riska

Conhecer os riscos é essencial para estarmos preparados. Vais aprender a conhecer os alertas e o que fazer para estar preparado e responder em caso de sismo, tsunami, cheias ou deslizamentos

O tema dos riscos naturais com destaque para os sismos, tsunamis, cheias e deslizamentos.
O jogo dos terramotos para aprender de forma divertida conceitos sobre o risco sísmico e de tsunamis. O que fazer antes, durante e depois?

Local: Jardim do Príncipe Real

Público: Todas as idades

Organizado por: Instituto Superior Técnico /CERIS e INESC-ID

Em parceria com: Câmara Municipal de Lisboa

Investigador(a) responsável: Mónica Amaral Ferreira

Área temática: Ciências Naturais e do Ambiente, Ciências Sociais e Humanas, Física / Química, Matemática, Tecnologias

Tipo de atividade: Jogos, Apps e Desafios

Corta no Carbono – Quiz sobre a mudança para uma vida alta e emoções e baixa em carbono

Cut on Carbon - Quiz on lifestyle changes towards more emotions and less energy demand

Sabias que o teu smartphone é uma máquina de reduzir emissões de carbono? E que uma lâmpada convencional consome a mesma energia que uma casa iluminada unicamente por lâmpadas LEDs?
Neste Quiz vamos testar o teu conhecimento sobre as emissões de carbono e como cada um pode contribuir para sua redução. Participa nesta ronda de perguntas e respostas inesperadas. Os vencedores serão premiados!

[Esta atividade estará incluída entre as 17h00 e as 18h00 no espaço Iscte-Instituto Universitário de Lisboa, no Claustro]

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Público: Todas as idades

Organizado por: DINÂMIA'CET-Iscte

Em parceria com: Iscte

Investigador(a) responsável: Nuno Bento

Área temática: Ciências Sociais e Humanas, Tecnologias

Tipo de atividade: Quizzes

Dispositivos eco-sustentáveis de conversão de energia mecânica em elétrica para sistemas autónomos de baixo consumo

Eco-sustainable devices for mechanical-to-electrical energy conversion enabling low power consumption autonomous devices

Diverte-te a gerar a tua própria energia elétrica sem poluir o nosso planeta!

Nesta atividade são apresentados vários protótipos desenvolvidos no i3N|CENIMAT (FCT-NOVA) e no AlmaScience que convertem energia mecânica em energia elétrica, a qual pode ser usada para alimentar pequenos dispositivos, como relógios ou sistemas de iluminação, de uma forma totalmente não poluente. Tudo assenta numa plataforma com materiais e processos de fabrico sustentáveis, que podem ser integrados em papel ou mesmo em têxteis.
Todas as demonstrações permitem interação do público. Um dos protótipos, ligado a um osciloscópio, permite compreender em mais detalhe o princípio de funcionamento. Outros dois protótipos potenciam uma vertente mais lúdica: acender LEDs com saltos no chão ou fazer uma personagem digital saltar mais ou menos alto consoante a força e frequência exercídas num touch panel.

Financiamento: 716510; 640598; 952169

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Público: Todas as idades

Organizado por: FCT-NOVA - i3N|CENIMAT

Em parceria com: AlmaScience

Investigador(a) responsável: Pedro Barquinha

No enquadramento do projecto: TREND: Transparent and flexible electronics with embedded energy harvesting based on oxide nanowire devices; NEW_FUN: New era of printed paper electronics based on advanced functional cellulose; Synergy: Symbiosis for Energy Harvesting Concepts for Smart Platforms on Foils

Área temática: Física / Química, Tecnologias

Tipo de atividade: Demonstrações

A Química no nosso Mundo

The Chemistry in our World

Queres saber o que é um Sensor Salino? Poderá o nosso mundo ser fluorescente? Onde está a química no que comemos e no que vestimos? Vem conhecer-nos!

O CEEQ irá apresentar atividades diversificadas dirigidas ao público em geral. Irás saber qual o impacto da salinidade da água na produtividade das culturas, a utilidade de sensores fluorescentes na Medicina e na Biologia e ainda que os alimentos que comemos, os produtos de higiene que usamos e a roupa que vestimos são verdadeiros aliados da Química!

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Público: Todas as idades

Organizado por: Instituto Superior de Engenharia de Lisboa/Centro de Estudo de Engenharia Química (CEEQ)

Investigador(a) responsável: Alexandra Martins Paulo da Costa

Área temática: Ciências Naturais e do Ambiente, Física / Química, Tecnologias

Tipo de atividade: Demonstrações

Compreendendo Ambientes Extremos

Understanding Extreme Environments

O que sabes sobre ambientes extremos? É possível a vida nestes locais? Testa os teus conhecimentos!

Um quiz sobre ambientes extremos e como é possível viver neles, baseado no trabalho de investigação feito sobre arquitectura para zonas muito frias (como as regiões polares) e zonas muito quentes (como os desertos). Pretende-se dinamizar esta atividade através da projeção de perguntas num monitor, aos quais os presentes poderão tentar responder ao que se segue uma explicação pela investigadora e arquiteta Leonor Domingos.

[Esta atividade estará incluída entre as 19h00 e as 20h00 no espaço Iscte-Instituto Universitário de Lisboa, no Claustro]

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Público: Todas as idades

Organizado por: ISTAR-Iscte

Investigador(a) responsável: Leonor Marques Mano Domingos

Área temática: Arquitetura, Artes e Design, Tecnologias

Tipo de atividade: Demonstrações, Quizzes

Vem conhecer uma enzima que pode ajudar na preservação da camada de ozono

Meet the enzyme that can help in the preservation of the ozone layer

Vem conhecer a reductase do óxido nitroso: uma proteína contendo centros de cobre que pode contribuir para a preservação da camada de ozono.

O oxido nitroso é responsável pela destruição da camada de ozono e possui uma capacidade de gás de estufa 300 vezes superior ao CO2. Este gás é libertado para atmosfera devido às actividades antropogénicas (indústria, transportes), bem como agricultura intensiva com recurso ao uso de fertilizantes inorgânicos. Nestas experiências poderás conhecer a única enzima que tem a capacidade de reduzir o óxido nitroso a azoto molecular, a redutase do óxido nitroso. Vais conhecer as suas cores, associadas a diferentes formas da enzima e a sua estrutura tridimensional. Também poderás fazer experiências em que a bactéria marinha que a produz irá reduzir o nitrito a azoto molecular.

Financiamento: COST Action.

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Público: Todas as idades

Organizado por: FCT NOVA

Em parceria com: UCIBIO e LAQV

Investigador(a) responsável: Sofia Pauleta

Área temática: Ciências Naturais e do Ambiente, Física / Química

Tipo de atividade: Demonstrações

A humanidade e o clima da pré-história à época romana – o que nos diz a Arqueologia

Humans and climate since pre-history until the Roman period – What can Archaeology tell us.

Venha decobrir o que a Arqueologia nos pode dizer sobre a gestão de recursos naturais desde a pré-história à época romana.

Com esta actividade pretende-se mostrar como, ao longo do tempo, a humanidade se adaptou ao meio em que se encontrava e de que forma foi possível explorar diferentes recursos naturais. A arqueologia através de diferentes metodologias como a zooarqueologia, carpologia e antracologia tem vindo a estudar a forma como se processou a busca de alimentos desde os tempos mais remotos das sociedades de caçadores recolectores e dos primeiros camponeses até às explorações agro-pecuárias de época romana.
Através de pequenos jogos especialmente concebidos para o efeito assim, como da observação e manuseamento de materiais arqueológicos e restos faunísticos, etc. poderá ficar a conhecer-se melhor o contributo da Arqueologia para o estudo da relação da humanidade com o meio ambiente e como se pode chegar a informação relevante sobre o clima nas diferentes etapas da História.

Local: Jardim do Príncipe Real

Público: Todas as idades

Organizado por: UNIARQ - Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa

Investigador(a) responsável: Catarina Viegas

Área temática: Ciências Naturais e do Ambiente, Ciências Sociais e Humanas

Tipo de atividade: Demonstrações, Jogos, Apps e Desafios

A Invasão do Plástico!

The Invasion of Plastic!

A Terra é de todos, e todos devemos fazer a mudança! Muda a tua atitude e contribui para a preservação do nosso Planeta!

A atividade “Invasão do Plástico!” irá mostrar todo o processo de amostragem e tratamento das amostras, desde a “caça” dos plásticos na areia, até à identificação dos mesmos na lupa. Porque mesmo quando a areia parece estar limpa, existe um mundo de mini plásticos que o olho nu não vê, mas muitos animais marinhos acabam por ingerir, por exemplo os peixes que confundem os microplásticos com o plâncton, chegando assim à cadeia alimentar humana. Por isso, com esta atividade, pretendemos sensibilizar para a problemática dos plásticos, sobretudo dos microplásticos, que tanto afetam a vida e os ecossistemas marinhos.
Iniciando com a “caça” aos plásticos nos sedimentos, será usada uma caixa com areia de praia que terá vários tipos de plásticos, a fim de simular o que existe nas nossas praias. Com o auxílio das peneiras com porosidades diferentes, os participantes irão procurar e recolher os plásticos. Posteriormente, os monitores irão ajudar na identificação dos tipos de plástico a olho nu e à lupa (consoante o tamanho dos mesmos). Durante este período, também serão explicados e simulados os processos laboratoriais, que no local não serão possíveis de realizar na sua totalidade (mostrar draga, latas com amostras, SMI com amostra e solução NaCl no agitador magnético, kitasato e filtros).
Quanto à recolha de plásticos nas águas, serão mostradas as diferentes redes usadas no mar e rio. De seguida, os participantes irão observar que os plásticos têm diferentes densidades (proveta com água e plásticos que irão flutuar ou afundar). Haverá dois copos de amostra, antes e após eliminação da matéria orgânica, para se poder explicar aos participantes que antes de filtrar a amostra é preciso facilitar a observação da mesma (num copo a água estará “suja” e no outro a água estará relativamente limpa). Por fim, será realizada uma filtração da amostra, de modo a extrair os plásticos da água do “mar ou rio” (água da torneira com plásticos de vários tamanhos). Concluindo com a observação e identificação dos plásticos na lupa.
Quanto à análise química do plástico, serão exibidas fotografias e vídeos da mesma e os monitores irão explicar como se realiza a identificação (se é polietileno ou polipropileno ou outro polímero).

Local: Jardim do Príncipe Real

Público: Todas as idades

Organizado por: Marine and Environmental Sciences Centre (MARE), FCT-NOVA

Investigador(a) responsável: Carla Silva

Área temática: Ciências Naturais e do Ambiente

Tipo de atividade: Demonstrações

MineHeritage – O património cultural mineiro Europeu e a sustentabilidade climática; RawMatters@Schools – Sensores em papel para aplicações climáticas

MineHeritage - European mining cultural heritage climate sutainability; RawMatters@Schools – Paper sensors for the climate applications

Sabia que com um pedaço de papel é possível identificar agentes contaminantes ou determinar a humidade? Sabias que no tempo de Roma antiga as moedas eram feitas com ouro Português?

Actividade conjunta de duas temáticas com demonstradores lúdicos e experimentais que funcionarão na mesma bancada (denominador comum – EIT Raw Materials, European Institute of Innovation and Technology):
1 - A importância das matérias-primas desde a pré-história até aos nossos dias no contexto do desenvolvimento Europeu como ferramenta de actividades de turismo cultural e preservação de locais mineiros de interesse histórico na Europa e a influência da substituição de matérias primas nos ecossistemas e no clima.
2 – Os sensores em papel como meio de diagnóstico e de identificação de contaminantes fúngicos e bacterianos resultantes das alterações climáticas. Actividade com jogos e um protótipo de identificação de baixo custo e de fácil produção.

Financiamento: EIT RawMaterials

Local: Jardim do Príncipe Real

Público: Jovens e Adultos

Organizado por: CENIMAT/i3N, FCT-NOVA

Investigador(a) responsável: João Pedro Veiga

No enquadramento do projecto: MienHeritage e RawMatters@Schools4.0

Área temática: Tecnologias

Tipo de atividade: Demonstrações

O Segredo dos Oceanos

The Secret of the Oceans

Actinobactérias marinhas que combatem bactérias patogénicas

Apresentação de actinobactérias de origem marinha para o isolamento sustentável de compostos com actividade antimicrobiana para aplicações biotecnológicas.

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

 

Público: Todas as idades

Organizado por: UCIBIO, Dpto Química, Blue Biotechnology and Biomedicine Lab, FCT NOVA

Em parceria com: UCIBIO, Dpto Ciências da Vida, MolMicro of Bacteria Pathogens Lab, FCT NOVA

Investigador(a) responsável: Susana Gaudencio

Área temática: Ciências da Saúde, Ciências Naturais e do Ambiente, Física / Química, Tecnologias

Tipo de atividade: Demonstrações

Adaptações das plantas ao clima

Plants adaptations to the clima

Como sobrevivem as plantas?

Visita à classe do Jardim Botânico, com jogo de pistas, onde se pretende mostra e explicar as adaptações de algumas plantas ao habitat/clima.

Local: Jardim Botânico de Lisboa

Visita orientada com lotação máxima de 20 pessoas.

Horário: 17h30 - 18h30 Público: Todas as idades

Organizado por: Museu Nacional de História natural e da Ciência da Universidade de Lisboa

Investigador(a) responsável: Palmira Carvalho

Área temática: Ciências Naturais e do Ambiente

Tipo de atividade: Conversas & Controvérsias, Demonstrações, Jogos, Apps e Desafios

H-WHALE: Monstros Marinhos e Baleias Arrojadas

H-WHALE: Sea Monsters and Stranded Whales

A história e a ecologia de grandes baleias e seus arrojamentos em Portugal

Esta é uma atividade presencial, também disponível online e que permite participar tanto no local como à distância. Nesta atividade os participantes vão conhecer e interagir com a história e a ecologia das grandes baleias e seus arrojamentos históricos na região de Lisboa e estuário do Tejo. Que animais são estes que dão á costa? São monstros ou são baleias? Porque acontecem os arrojamentos? Porque despertam a curiosidade das pessoas? Que informação nos oferecem os dados históricos? A estas e outras perguntas iremos dar resposta explorando o passado do ecossistema estuarino.

Local: Jardim do Príncipe Real

Público: Todas as idades

Organizado por: CHAM - Centro de Humanidades | NOVA FCSH

Em parceria com: OMA - Observatório do Mar / Husavik Whale Museum

Investigador(a) responsável: Cristina Brito

Área temática: Ciências Sociais e Humanas

Tipo de atividade: Conversas & Controvérsias, Demonstrações

“A Glória das Alterações Climáticas”

A Climate Change Giant Board Game

Sobre as alterações climáticas queres aprender? Este jogo ensina-te tudo o que tens que saber!

Jogo de tabuleiro gigante (lona de 5 metros por 5 metros) sobre a temática das alterações climáticas. Os participantes terão que responder a perguntas relacionadas com o conceito de alterações climáticas, as principais causas, as principais consequências nos diversos ecossistemas, sobre a neutralidade do clima até 2050 e sobre exemplos práticos de economia verde. As perguntas vão ter diferentes níveis de dificuldade para serem adaptadas às diferentes faixas etárias dos participantes.

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Público: Todas as idades

Organizado por: Escola Superior de Educação João de Deus

Investigador(a) responsável: Ana Teresa Neves

Área temática: Ciências da Saúde, Ciências Naturais e do Ambiente, Física / Química

Tipo de atividade: Jogos, Apps e Desafios, Quizzes

O Infinitamente Pequeno: Ciência, Tecnologia e Sustentabilidade

The Infinitely Small: Science, Technology and Sustainability

Sabias que a física de partículas estuda o limite do infinitamente pequeno, usando tecnologia de ponta que pode também ser usada no dia a dia e procura tornar o nosso mundo mais sustentável?

Tornaremos o mundo invisível das partículas mais próximo dos visitantes através da detecção de partículas cósmicas que nos rodeiam em dispositivos simples (câmara de faíscas, câmara de nevoeiro) em que podemos observar os rastos deixados pela passagem dessas partículas. Visualizadores virtuais interactivos permitirão transpor essa experiência para os detectores mais complexos usados em alguns dos grandes projetos internacionais em que o LIP participa, nomeadamente no acelerador LHC do CERN e em experiências de astropartículas. Um pequeno números de posters apresentará aos visitantes a estratégia europeia para o futuro da física de partículas, em particular o Future Circular Collider (FCC) e alguns projectos em desenvolvimento no que diz respeito à sustentabilidade ambiental. Um écran permitirá seguir o programa online, que incluirá uma apresentação/debate sobre estas questões, assim como uma visita virtual a uma grande experiência de física de partículas.

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Público: Todas as idades

Organizado por: LIP-Lisboa

Investigador(a) responsável: Pedro Abreu

Área temática: Física / Química, Tecnologias

Tipo de atividade: Conversas & Controvérsias, Demonstrações, Visita Virtual

Bioindicadores ambientais

Environmental Bioindicators

À descoberta dos bioindicadores no Jardim Botânico

Nesta ação pretende-se mostrar a elevada diversidade dos líquenes e briófitos no Jardim Botânico da Universidade de Lisboa e a sua importância como bioindicadores ambientais.

Local:  Jardim Botânico de Lisboa

Visita orientada com lotação máximo de 20 participantes.

Horário: 16h30 - 17h30 Público: Todas as idades

Organizado por: Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa

Investigador(a) responsável: Palmira Carvalho

Área temática: Ciências Naturais e do Ambiente

Tipo de atividade: Demonstrações

Vamos escutar o Planeta? As questões climáticas abordadas através de uma sessão de orientações musicais para pais, bebés e crianças

Let’s listen to the Planet? A music approach to the climate issues through an early childhood music session for parents, babies and children

Como abordar questões climáticas através da música e das relações inter-pessoais.

Diz o ditado popular “de pequenino é que se torce o pepino” e, portanto, a sensibilização para os problemas ambientais, para as mudanças climáticas, e para o papel de cada um tendo em vista um crescimento sustentável deve estar presente desde o berço. O colo de afetos proporcionado pela Música e pelas relações que se estabelecem entre pais e filhos, dinamizadores e crianças, crianças e crianças, contribui para uma aprendizagem que se enraiza, que crescerá e dará frutos. Nestas sessões de Música para pais e crianças, a viagem musical far-se-á pelo Planeta, mergulhando nos oceanos, viajando em meios de transporte amigos do ambiente, escutando o que diz o vento, voando com as amigas abelhas (tão importantes para a polinização!), plantando flores e árvores, fazendo uma dieta mais à base de vegetais e, inclusivamente, tomando um banho (imaginário) com sabão e uma esponja biodegradável. De uma forma lúdica e musical, abordam-se os problemas e de que forma podemos ser solução. Iremos escutar, cantar, entoar, dançar, tocar, mover e dançar. Ao longo da atividades todos são convidados a participar ativamente, pais e crianças, não se trata de uma performance em que o público apenas observa, nem se trata de uma aula de Música formal.

Local: Jardim do Príncipe Real

Público: Todas as idades

Organizado por: CESEM - NOVA FCSH

Investigador(a) responsável: Ana Isabel Pereira

Área temática: Arquitetura, Artes e Design

Tipo de atividade: Demonstrações

Comunicações Verdes no pós-5G

5G and Beoynd Green Communications

As comunicações 5G sustentáveis possiblitarão alcançar o inimaginável, no acesso à rede, e na aproximação dos povos e culturas, de todas as regiões do globo

As comunicações 5G energeticamente eficientes irão disponibilizar recursos de comunicação de banda muito larga à população em geral, num contexto de sustentabilidade energética. No pós-5G, as pessoas terão acesso a mais dados de elevada velocidade, disponíveis, de forma aubíqua, com acesso generalizado à Internet das Coisas e às comunicações ultra-confiáveis de atraso reduzido, um facilitador da condução autónoma e das comunicações com drones aéreos, terrestres e maritimos. A 5G será habilitada por uma rede celular de células muito-pequenas, com técnicas muito avançadas de receção de pacotes, na interface rádio, e possibilitando a interoperabilidade de sistemas de navegação (e radar) com os sistemas de comunicação. A equipa de jovens investigadores irá apresentar as descobertas mais recentes neste setor estratégico da economia digital e divulgará pequenos demosntradores e protótipos desta tecnologia que suporta, por exemplo, realidade virtual e aumentada num contexto de comunicações móveis terrestres, ou com base em UAVs.

Financiamento: ID: 813391

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Público: Todas as idades

Organizado por: Instituto de Telecomunicações - UBL | ISCTE - IUL

Em parceria com: UBI, UAveiro, UNL-FCT-NOVA

Investigador(a) responsável: Fernando José da Silva Velez

No enquadramento do projecto: TeamUp5G: New RAN TEchniques for 5G UltrA-dense Mobile networks

Área temática: Tecnologias

Tipo de atividade: Conversas & Controvérsias, Demonstrações

Proteína e Função Física no Envelhecimento

Protein and Physical Function in Older Adults

Um ovo por dia nem sabe o bem que lhe fazia

A actividade vai ser em formato de apresentação oral com duração máxima de 30 minutos sobre a importância da ingestão de proteína no envelhecimento e como esta pode ajudar a atrasar o desenvolvimento de limitações funcionais.

 

Financiamento: 835577

 

Local: Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Horário: 19h00 Público: Adultos

Organizado por: NOVA Medical School

Em parceria com: CEDOC - Centro de Estudos de Doenças Crónicas

Investigador(a) responsável: Nuno Mendonça

No enquadramento do projecto: InDEPENDEnt: Impact of Dietary Protein on Disability in ageing Europeans

Área temática: Ciências da Saúde

Tipo de atividade: Conversas & Controvérsias


Aceda outras iniciativas presenciais que vão ocorrer em Lisboa… não perca o BioBlitz (veja a programação aqui)!

Back to Top