Atividades preparatórias (2018)

Conferência | Geoconservação em meio urbano: o que se fez e não se fez
13 Dezembro 2018, 17h30

60 Minutos de Ciência

Dedicada ao património geológico e à sua conservação em meio urbano, recebemos o Professor Doutor Galopim de Carvalho, entusiasta divulgador das geociências e antigo diretor do MUHNAC-ULisboa, em mais uma sessão de 60 Minutos de Ciência.
Nesta sessão serão dados a conhecer geossítios e geomonumentos nacionais localizados em Lisboa, Sesimbra, Setúbal, Évora, Viseu, Aveiro e Porto que serão apresentados enquanto museus sem fronteiras.

Nota biográfica sobre o orador

A. M. Galopim de Carvalho nasceu em Évora, em 1931. É doutorado em Sedimentologia, pela Universidade de Paris (1964), e em Geologia, pela Universidade de Lisboa (1968), tendo lecionado na Faculdade de Ciências desta Universidade de 1961 a 2001, ano em que se jubilou como professor catedrático. Lecionou, igualmente, em Geografia, na Faculdade de Letras da mesma Universidade, de 1965 a 1981.
Dirigiu o Museu Mineralógico e Geológico da Faculdade de Ciências de Lisboa, de 1983 a 1992, e o Museu Nacional de História Natural (MUHNAC-ULisboa), de 1992 a 2003, onde foi o mentor e responsável científico de sucessivos projetos de investigação nas áreas da Geologia Marinha e da Paleontologia dos Dinossáurios. Atualmente continua a trabalhar na divulgação, salvaguarda e valorização do património geológico nacional.
É autor de vasta bibliografia científica, de divulgação e de ficção, com mais de 20 livros publicados e centenas de artigos em revistas científicas e jornais.
Foi o responsável científico por mais de uma dezena de exposições sobre Dinossáurios e outras temáticas em Lisboa, Porto, Cantanhede, Sintra e Macau.
Iniciou em Portugal, em 1989, no MUHNAC-ULisboa, a “Feira Internacional de Minerais, Gemas e Fósseis”, com 31 edições concluídas e hoje alargada, regularmente, ao Porto e a Coimbra e, ocasionalmente, a outras cidades do país.
É patrono do Agrupamento de Jardins-de-Infância e Escolas Professor Galopim de Carvalho, em Queluz, e da Escola Básica do Bacelo, em Évora.
Concebeu e participou na concretização do Museu do Quartzo, em Viseu, oficialmente designado por Centro de Interpretação Galopim de Carvalho.

Organização | MUHNAC-Ulisboa
Local da atividade | Sala Vandelli, MUHNAC-ULisboa

Conferência | O Museu Nacional do Rio de Janeiro vive também por aqui
2 Outubro 2018, 16h00 - 17h00

A partir da interação com os OBJECTOS de história natural da coleção de Frei Manuel do Cenáculo, promover um diálogo aberto sobre o histórico do Museu Nacional do Rio de Janeiro, destacando personagens, coleções e passagens que apontam para a magnitude da instituição, atingida pelo terrível incêndio em 2 de setembro de 2018. No final da sessão os participantes deverão deixar mensagens de apoio aos estudantes e profissionais da instituição brasileira, por meio de um grande mural, que ficará disponível também para os demais visitantes do Museu Frei Manuel do Cenáculo durante todo o mês de outubro.

Este será o Mural: Museu Nacional Vive também por aqui que será, posteriormente, enviado ao Museu Nacional do Rio de Janeiro, como homenagem e apoio da ciência cidadã portuguesa para com o Museu Nacional do Rio de Janeiro – Brasil.

Local | Museu Frei Manuel de Cenáculo – Largo do Conde de Vila Flor, Évora

Percurso| Geologia do Maciço de Morais: Percurso no Geoparque Mundial UNESCO Terras de Cavaleiros
22 Setembro 2018, 07h15 - 20h00

Saída de Campo “Geologia do Maciço de Morais: percurso no Geoparque Mundial UNESCO Terras de Cavaleiros”.

Local |  Macedo de Calaveiros.

Itinerário e recomendações gerais.

A participação na atividade é gratuita, mas requer inscrição prévia através deste link.

Bioblitz | Biobuscas, que espécie de coisa é esta?
22 Setembro 2018, 10h00 - 13h00

"Biobuscas, que espécie de coisa é esta?" é um projeto de educação ambiental desenhado para crianças dos 6 aos 10 anos. Consiste em passeios de natureza em que os participantes são desafiados a encontrar algumas espécies (animais e vegetais) e a marca-las em mapas de guias criados propositadamente para o efeito.
O passeio é também um "pretexto" para abordar conceitos como biodiversidade, sustentabilidade, respeito pela natureza e para responder às perguntas das crianças.

Participação gratuita com inscrição prévia através deste link.

Local |  Parque da Ponte, Braga.

Visita | Espólio de Farmácia do Palácio do Raio
21 Setembro 2018, 21h00 - 23h00

Visita ao Espólio de Farmácia do Palácio do Raio e Palestra 'A Aventura de descobrir Novos Medicamentos”.

Local | Palácio do Raio, Braga.

A participação na atividade é gratuita, mas requer inscrição prévia através deste link.

Conferência | Porque está a NASA a estudar a água mineral de Cabeço de Vide?
20 Setembro 2018, 17h30

60 Minutos de Ciência

Portugal possui o mais rico e diversificado Património Hidrotermal da Península Ibérica. A água é, por si só, um dos recursos primários e fundamentais à existência de vida, pelo que importa compreender onde e como existe, como interage com o solo e com a floresta, e como a tratamos, pois sem este conhecimento não conseguimos assegurar a sua exploração sustentável.

Enquanto Património, a água mineral natural e termal reflete-se em áreas com elevada importância social e económica, nomeadamente no Turismo, Saúde e do Bem-Estar com a prática do Termalismo, e também na Arquitetura, como são exemplo as Termas romanas de Cabeço de Vide.

Durante a sessão, iremos olhar a água enquanto recurso e enquanto Património, dedicando especial atenção à água mineral natural e termal de Cabeço de Vide procurando, através de pequenas demonstrações, descobrir o que faz dela tão singular para ter despertado o interesse da NASA.

Sessão incluída no programa “Ciência e património: Cidades do futuro?”, preparatório da Noite Europeia dos Investigadores (28 set 2018).

Nota biográfica sobre o orador | Carla Sofia Rocha, é natural de Ílhavo, distrito de Aveiro. Com formação académica em Geologia pela Universidade de Coimbra (Licenciatura e Mestrado), é doutoranda da Universidade de Lisboa-IST em Georrecursos com Bolsa Individual de Doutoramento financiada pela FCT. Em todo o seu percurso académico foi colaboradora e monitora nos Museus de Ciência e História Natural da Universidade de Coimbra na área das Geociências, tendo participado ativamente em vários projetos de investigação e cooperado em trabalhos de investigação ligados à hidrogeologia, como por ex. nas lagoas de Quiaios e Tocha, águas mineralizadas de Montouro e nas àguas minerais naturais termais das Corgas do Buçaco. Atualmente estuda a água mineral natural e termal de Cabeço de Vide, uma água com características únicas em Portugal e raras no mundo.

Local | Edifício do Caleidoscópio, no Jardim do Campo Grande.

Visita | Conservação da biodiversidade que nos alimenta
15 Setembro 2018, 10h00 - 13h00

O Banco Português de Germoplasma Vegetal - INIAV (BPGV-INIAV) é a entidade nacional responsável pela conservação dos recursos genéticos vegetais para a Alimentação e Agricultura. Conservar é também colher, avaliar e documentar, garantindo que estes recursos são mantidos para as gerações vindouras.

A participação na atividade é gratuita, mas requer inscrição prévia através deste link.

Local | Banco Português de Germoplasma Vegetal - INIAV , Quinta de S. José, S. Pedro de Merelim, Braga.

Workshop | Plantas do futuro?
14 Setembro 2018, 11h00 e 15h00

Que plantas podemos especular para o futuro tendo em conta a investigação científica face às alterações globais? Como reconhecê-las no Jardim Botânico de Lisboa?

Local | Jardim Botânico de Lisboa, Museu Nacional de História Natural e da Ciência.

Atividade gratuita mediante inscrição (máx. 25 pessoas/por sessão).

Percurso | Com a cidade aos nossos pés
6 Agosto 2018, 14h00 - 17h00

Percurso pela ruas de Lisboa a partir do Museu Nacional de História Natural e da Ciência que pretende despertar os participantes para a Geologia em seu redor e em que conhecerão a Geologia e a Geomorfologia da capital, incluindo histórias e relatos do sismo que devastou a cidade a 1 de Novembro de 1755.

Local | Átrio do Museu Nacional de História Natural e da Ciência.

Percurso | Um recife lisboeta com 22 milhões de anos
31 Julho 2018, 16h30 - 18h30

Já ouviu falar em briozoários? Sabia que há 22 milhões de anos existiam recifes em Lisboa? Venha encontrar-se connosco no Geomonumento da Rua Sampaio Bruno. Em conjunto, vamos viajar a um passado tropical de Lisboa e descobrir que nem só de corais são feitos os recifes.

Organização | MUHNAC-ULisboa
Local | Rua Sampaio Bruno, junto ao nº 15, frente ao cruzamento com a Rua Coelho da Rocha, Campo de Ourique, Lisboa.

Conferência | Gestão e Ecologia do Fogo: uma solução contra incêndios?
21 Junho 2018, 17h00

60 Minutos de Ciência

O Fogo é apresentado nas suas vertentes menos conhecidas. As espécies florestais portuguesas e as suas adaptações ecológicas ao fogo. Será o Fogo uma surpresa para os nossos ecossistemas? O Pinheiro, o Eucalipto e o Sobreiro. O que conhecemos da sua ecologia? Como podemos gerir as nossas florestas num ambiente com fogo? Que novos desafios criam as alterações climáticas? O futuro da nossa floresta e das interfaces urbano-florestais.

Sessão incluída no programa “Ciência e património: Cidades do futuro?”, preparatório da Noite Europeia dos Investigadores (28 set 2018).

Breve nota biográfica sobre o orador: Francisco Castro Rego é Professor Associado do Instituto Superior de Agronomia (ISA), da Universidade de Lisboa. Foi Presidente do ISA, Director da Estação Florestal Nacional, Presidente do Instituto Florestal Europeu, e Director Geral dos Recursos Florestais. Foi coordenador do maior projecto Europeu na área dos Fogos Florestais (o FIRE PARADOX). É coordenador do Centro de Ecologia Aplicada Baeta Neves e sub-Director do InBIO. Fez parte da Comissão Técnica Independente que analizou os incêndios de 2017. É actualmente presidente da Associação Natureza Portugal, associação filiada na WWF. É actualmente Professor de Ecologia da Paisagem com colaborações na Universidade de Idaho (EUA) onde tem colaborado no ensino e investigação.

Organização | MUHNAC-Ulisboa
Local da atividade | Sala Vandelli, MUHNAC

13 Dez, Lisboa

Conferência | Geoconservação em meio urbano: o que se fez e não se fez
13 Dezembro 2018, 17h30

60 Minutos de Ciência

Dedicada ao património geológico e à sua conservação em meio urbano, recebemos o Professor Doutor Galopim de Carvalho, entusiasta divulgador das geociências e antigo diretor do MUHNAC-ULisboa, em mais uma sessão de 60 Minutos de Ciência.
Nesta sessão serão dados a conhecer geossítios e geomonumentos nacionais localizados em Lisboa, Sesimbra, Setúbal, Évora, Viseu, Aveiro e Porto que serão apresentados enquanto museus sem fronteiras.

Nota biográfica sobre o orador

A. M. Galopim de Carvalho nasceu em Évora, em 1931. É doutorado em Sedimentologia, pela Universidade de Paris (1964), e em Geologia, pela Universidade de Lisboa (1968), tendo lecionado na Faculdade de Ciências desta Universidade de 1961 a 2001, ano em que se jubilou como professor catedrático. Lecionou, igualmente, em Geografia, na Faculdade de Letras da mesma Universidade, de 1965 a 1981.
Dirigiu o Museu Mineralógico e Geológico da Faculdade de Ciências de Lisboa, de 1983 a 1992, e o Museu Nacional de História Natural (MUHNAC-ULisboa), de 1992 a 2003, onde foi o mentor e responsável científico de sucessivos projetos de investigação nas áreas da Geologia Marinha e da Paleontologia dos Dinossáurios. Atualmente continua a trabalhar na divulgação, salvaguarda e valorização do património geológico nacional.
É autor de vasta bibliografia científica, de divulgação e de ficção, com mais de 20 livros publicados e centenas de artigos em revistas científicas e jornais.
Foi o responsável científico por mais de uma dezena de exposições sobre Dinossáurios e outras temáticas em Lisboa, Porto, Cantanhede, Sintra e Macau.
Iniciou em Portugal, em 1989, no MUHNAC-ULisboa, a “Feira Internacional de Minerais, Gemas e Fósseis”, com 31 edições concluídas e hoje alargada, regularmente, ao Porto e a Coimbra e, ocasionalmente, a outras cidades do país.
É patrono do Agrupamento de Jardins-de-Infância e Escolas Professor Galopim de Carvalho, em Queluz, e da Escola Básica do Bacelo, em Évora.
Concebeu e participou na concretização do Museu do Quartzo, em Viseu, oficialmente designado por Centro de Interpretação Galopim de Carvalho.

Organização | MUHNAC-Ulisboa
Local da atividade | Sala Vandelli, MUHNAC-ULisboa

2 Out, Évora

Conferência | O Museu Nacional do Rio de Janeiro vive também por aqui
2 Outubro 2018, 16h00 - 17h00

A partir da interação com os OBJECTOS de história natural da coleção de Frei Manuel do Cenáculo, promover um diálogo aberto sobre o histórico do Museu Nacional do Rio de Janeiro, destacando personagens, coleções e passagens que apontam para a magnitude da instituição, atingida pelo terrível incêndio em 2 de setembro de 2018. No final da sessão os participantes deverão deixar mensagens de apoio aos estudantes e profissionais da instituição brasileira, por meio de um grande mural, que ficará disponível também para os demais visitantes do Museu Frei Manuel do Cenáculo durante todo o mês de outubro.

Este será o Mural: Museu Nacional Vive também por aqui que será, posteriormente, enviado ao Museu Nacional do Rio de Janeiro, como homenagem e apoio da ciência cidadã portuguesa para com o Museu Nacional do Rio de Janeiro – Brasil.

Local | Museu Frei Manuel de Cenáculo – Largo do Conde de Vila Flor, Évora

22 Set, Braga

Bioblitz | Biobuscas, que espécie de coisa é esta?
22 Setembro 2018, 10h00 - 13h00

"Biobuscas, que espécie de coisa é esta?" é um projeto de educação ambiental desenhado para crianças dos 6 aos 10 anos. Consiste em passeios de natureza em que os participantes são desafiados a encontrar algumas espécies (animais e vegetais) e a marca-las em mapas de guias criados propositadamente para o efeito.
O passeio é também um "pretexto" para abordar conceitos como biodiversidade, sustentabilidade, respeito pela natureza e para responder às perguntas das crianças.

Participação gratuita com inscrição prévia através deste link.

Local |  Parque da Ponte, Braga.

22 Set, Braga

Percurso| Geologia do Maciço de Morais: Percurso no Geoparque Mundial UNESCO Terras de Cavaleiros
22 Setembro 2018, 07h15 - 20h00

Saída de Campo “Geologia do Maciço de Morais: percurso no Geoparque Mundial UNESCO Terras de Cavaleiros”.

Local |  Macedo de Calaveiros.

Itinerário e recomendações gerais.

A participação na atividade é gratuita, mas requer inscrição prévia através deste link.

21 Set, Braga

Visita | Espólio de Farmácia do Palácio do Raio
21 Setembro 2018, 21h00 - 23h00

Visita ao Espólio de Farmácia do Palácio do Raio e Palestra 'A Aventura de descobrir Novos Medicamentos”.

Local | Palácio do Raio, Braga.

A participação na atividade é gratuita, mas requer inscrição prévia através deste link.

20 Set, Lisboa

Lisboa | Conferência | Porque está a NASA a estudar a água mineral de Cabeço de Vide?
20 Setembro 2018, 17h30

60 Minutos de Ciência

Portugal possui o mais rico e diversificado Património Hidrotermal da Península Ibérica. A água é, por si só, um dos recursos primários e fundamentais à existência de vida, pelo que importa compreender onde e como existe, como interage com o solo e com a floresta, e como a tratamos, pois sem este conhecimento não conseguimos assegurar a sua exploração sustentável.

Enquanto Património, a água mineral natural e termal reflete-se em áreas com elevada importância social e económica, nomeadamente no Turismo, Saúde e do Bem-Estar com a prática do Termalismo, e também na Arquitetura, como são exemplo as Termas romanas de Cabeço de Vide.

Durante a sessão, iremos olhar a água enquanto recurso e enquanto Património, dedicando especial atenção à água mineral natural e termal de Cabeço de Vide procurando, através de pequenas demonstrações, descobrir o que faz dela tão singular para ter despertado o interesse da NASA.

Sessão incluída no programa “Ciência e património: Cidades do futuro?”, preparatório da Noite Europeia dos Investigadores (28 set 2018).

Nota biográfica sobre o orador | Carla Sofia Rocha, é natural de Ílhavo, distrito de Aveiro. Com formação académica em Geologia pela Universidade de Coimbra (Licenciatura e Mestrado), é doutoranda da Universidade de Lisboa-IST em Georrecursos com Bolsa Individual de Doutoramento financiada pela FCT. Em todo o seu percurso académico foi colaboradora e monitora nos Museus de Ciência e História Natural da Universidade de Coimbra na área das Geociências, tendo participado ativamente em vários projetos de investigação e cooperado em trabalhos de investigação ligados à hidrogeologia, como por ex. nas lagoas de Quiaios e Tocha, águas mineralizadas de Montouro e nas àguas minerais naturais termais das Corgas do Buçaco. Atualmente estuda a água mineral natural e termal de Cabeço de Vide, uma água com características únicas em Portugal e raras no mundo.

Local | Edifício do Caleidoscópio, no Jardim do Campo Grande.

15 Set, Braga

Visita | Conservação da biodiversidade que nos alimenta
15 Setembro 2018, 10h00 - 13h00

O Banco Português de Germoplasma Vegetal - INIAV (BPGV-INIAV) é a entidade nacional responsável pela conservação dos recursos genéticos vegetais para a Alimentação e Agricultura. Conservar é também colher, avaliar e documentar, garantindo que estes recursos são mantidos para as gerações vindouras.

A participação na atividade é gratuita, mas requer inscrição prévia através deste link.

Local | Banco Português de Germoplasma Vegetal - INIAV , Quinta de S. José, S. Pedro de Merelim, Braga.

14 Set, Lisboa

Workshop | Plantas do futuro?
14 Setembro 2018, 11h00 e 15h00

Que plantas podemos especular para o futuro tendo em conta a investigação científica face às alterações globais? Como reconhecê-las no Jardim Botânico de Lisboa?

Local | Jardim Botânico de Lisboa, Museu Nacional de História Natural e da Ciência.

Atividade gratuita mediante inscrição (máx. 25 pessoas/por sessão).

6 Ago, Lisboa

Percurso | Com a cidade aos nossos pés
6 Agosto 2018, 14h00 - 17h00

Percurso pela ruas de Lisboa a partir do Museu Nacional de História Natural e da Ciência que pretende despertar os participantes para a Geologia em seu redor e em que conhecerão a Geologia e a Geomorfologia da capital, incluindo histórias e relatos do sismo que devastou a cidade a 1 de Novembro de 1755.

Local | Átrio do Museu Nacional de História Natural e da Ciência.

31 Jul, Lisboa

Percurso | Um recife lisboeta com 22 milhões de anos
31 Julho 2018, 16h30 - 18h30

Já ouviu falar em briozoários? Sabia que há 22 milhões de anos existiam recifes em Lisboa? Venha encontrar-se connosco no Geomonumento da Rua Sampaio Bruno. Em conjunto, vamos viajar a um passado tropical de Lisboa e descobrir que nem só de corais são feitos os recifes.

Organização | MUHNAC-ULisboa
Local | Rua Sampaio Bruno, junto ao nº 15, frente ao cruzamento com a Rua Coelho da Rocha, Campo de Ourique, Lisboa.

21 Jun, Lisboa

Conferência | Gestão e Ecologia do Fogo: uma solução contra incêndios?
21 Junho 2018, 17h00

60 Minutos de Ciência

O Fogo é apresentado nas suas vertentes menos conhecidas. As espécies florestais portuguesas e as suas adaptações ecológicas ao fogo. Será o Fogo uma surpresa para os nossos ecossistemas? O Pinheiro, o Eucalipto e o Sobreiro. O que conhecemos da sua ecologia? Como podemos gerir as nossas florestas num ambiente com fogo? Que novos desafios criam as alterações climáticas? O futuro da nossa floresta e das interfaces urbano-florestais.

Sessão incluída no programa “Ciência e património: Cidades do futuro?”, preparatório da Noite Europeia dos Investigadores (28 set 2018).

Breve nota biográfica sobre o orador: Francisco Castro Rego é Professor Associado do Instituto Superior de Agronomia (ISA), da Universidade de Lisboa. Foi Presidente do ISA, Director da Estação Florestal Nacional, Presidente do Instituto Florestal Europeu, e Director Geral dos Recursos Florestais. Foi coordenador do maior projecto Europeu na área dos Fogos Florestais (o FIRE PARADOX). É coordenador do Centro de Ecologia Aplicada Baeta Neves e sub-Director do InBIO. Fez parte da Comissão Técnica Independente que analizou os incêndios de 2017. É actualmente presidente da Associação Natureza Portugal, associação filiada na WWF. É actualmente Professor de Ecologia da Paisagem com colaborações na Universidade de Idaho (EUA) onde tem colaborado no ensino e investigação.

Organização | MUHNAC-Ulisboa
Local da atividade | Sala Vandelli, MUHNAC