Geoconservação em meio urbano: o que se fez e não se fez

15 Novembro 17h30
Edifício Caleidoscópio, Campo Grande

Dedicada ao património geológico e à sua conservação em meio urbano, recebemos o Professor Doutor Galopim de Carvalho, entusiasta divulgador das geociências e antigo diretor do MUHNAC-ULisboa, em mais uma sessão de 60 Minutos de Ciência.
Nesta sessão serão dados a conhecer geossítios e geomonumentos nacionais localizados em Lisboa, Sesimbra, Setúbal, Évora, Viseu, Aveiro e Porto que serão apresentados enquanto museus sem fronteiras.

Nota biográfica sobre o orador

A. M. Galopim de Carvalho nasceu em Évora, em 1931. É doutorado em Sedimentologia, pela Universidade de Paris (1964), e em Geologia, pela Universidade de Lisboa (1968), tendo lecionado na Faculdade de Ciências desta Universidade de 1961 a 2001, ano em que se jubilou como professor catedrático. Lecionou, igualmente, em Geografia, na Faculdade de Letras da mesma Universidade, de 1965 a 1981.
Dirigiu o Museu Mineralógico e Geológico da Faculdade de Ciências de Lisboa, de 1983 a 1992, e o Museu Nacional de História Natural (MUHNAC-ULisboa), de 1992 a 2003, onde foi o mentor e responsável científico de sucessivos projetos de investigação nas áreas da Geologia Marinha e da Paleontologia dos Dinossáurios. Atualmente continua a trabalhar na divulgação, salvaguarda e valorização do património geológico nacional.
É autor de vasta bibliografia científica, de divulgação e de ficção, com mais de 20 livros publicados e centenas de artigos em revistas científicas e jornais.
Foi o responsável científico por mais de uma dezena de exposições sobre Dinossáurios e outras temáticas em Lisboa, Porto, Cantanhede, Sintra e Macau.
Iniciou em Portugal, em 1989, no MUHNAC-ULisboa, a “Feira Internacional de Minerais, Gemas e Fósseis”, com 31 edições concluídas e hoje alargada, regularmente, ao Porto e a Coimbra e, ocasionalmente, a outras cidades do país.
É patrono do Agrupamento de Jardins-de-Infância e Escolas Professor Galopim de Carvalho, em Queluz, e da Escola Básica do Bacelo, em Évora.
Concebeu e participou na concretização do Museu do Quartzo, em Viseu, oficialmente designado por Centro de Interpretação Galopim de Carvalho.

Sessão incluída no programa “Ciência e património: Cidades do futuro?”, preparatório da Noite Europeia dos Investigadores (27 set 2019).

3ª Edição do Ciclo de conversas “60 Minutos de Ciência”
Num formato informal e descontraído, 60 minutos de Ciência pretende ser um fórum de discussão entre especialistas e cidadãos sobre temas atuais de Ciência. Com a duração de uma hora, as suas sessões decorrem nas terceiras quintas-feiras do mês, pelas 17h30, com lugar no MUHNAC-ULisboa e no Edifício Caleidoscópio, no Jardim do Campo Grande em meses alternados.
Este ciclo é uma iniciativa do Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa (MUHNAC-ULisboa), do Comité UNESCO Matemática do Planeta Terra (MPT-UNESCO) e da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

MUHNAC